sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Filosofias Abaurônicas VII: Cidades de Interior

Sexta feira. Ótimo dia para sair. Ou no meu caso e dos habitantes de cidades pequenas, ir para a praçinha beber e tomar sorvete. E o post de hoje é exatamente sobre isso: vivendo em uma cidade de interior (entenda cidade PEQUENA de interior). Posso dizer que tenho bastante experiência nesse assunto, pois moro há 15 anos em uma e não vejo a hora de sair dela.

Como são várias as características de uma cidade de interior, vou listá-las e explicar uma por uma:
  • Lazer: Essa é a grande questão. As coisas existem, só não tem variedade, ou seja, o bar que for hoje, vai ser o bar que você irá semana que vem e até o fim da sua vida se não resolver ir pra cidades vizinhas. A maior fonte de lazer, no entanto, é a praça. A praça de uma cidade de interior é quase que um elemento mítico, capaz de unir todos os habitantes e noites de sábado ou tardes de finais de semana para tomar sorvete. É como um ritual sagrado, famílias se reúnem ao redor de algum busto no centro da praça ou ao redor de algum coreto e tomam sorvete, comem pipoca. É gente, vem coisa de novela de época mesmo. Acreditem, depois de um tempo, é um inferno porque você sempre verá as mesmas pessoas, sentadas nos mesmos lugares. Mas com sorte elas poderão estar tomando sorvetes diferentes. A noite, contudo, as coisas mudam um pouco. A galerinha teen que pode sair justamente porque a cidade é pequena domina todos os cantos da praça com alguma moda atual que todos seguem, já que o importante nesse ambiente é se mesclar o máximo possível. Experimente chegar de coturno e calça skinny na praça, você é praticamente fuzilado com olhares maldosos e conservadores (experiências própria).
  •  A Igreja: provavelmente o ambiente mais frequentado de toda cidade. Infelizmente vem no pacote da praça, então se sua praça não tem movimentação, coloque uma igreja nela e tudo se resolve você ainda vai descolar uma grana com sua pequena empresa de jesus. É incrível como tudo numa cidadezinha de interior gira em torno de uma igreja. As crianças são condicionadas a fazer parte dela e condenarem qualquer um que faça diferente. O que ninguém sabe é o fato desse ambiente ser um dos maiores procriadores de fofocas. Já era de se esperar: trocentas beatas que não fazem porra nenhuma da vida, todas juntas, é fofoca na certa (e fofoca com muitas espetadas de tia). O poder dessa instituição é tão grande que alguns desocupados ficam marcando a presença de outras pessoas como pretexto de desenvolver alguma nova história.
  • As Pessoas: o grande problema de uma cidadezinha de interior é que não há muitas pessoas, assim, toda as pessoas se conhecem e sabem alguma coisa sobre os vizinhos. Esqueça sua privacidade. Se você peidar na rua da sua casa ao meio-dia, antes da meia noite a notícia já vai ter chegado na praça. A situação pode se intensificar dependendo de quem for sua turma. Turmas mais Pops têm mais chances de caírem na boca do povo. E uma vez numa turma popular, não há como sair dela. Mesmo que você não veja mais ninguém, as pessoas continuarão te conhecendo e sabendo coisas sobre você. Alguns minutos conversando com qualquer um mais conhecido já é suficiente pra saber quem está negociando com traficantes, quem-come-quem e quem-gostaria-de-comer-quem.
Vale também lembrar duas coisas; a primeira é que se você tiver parentes em uma cidade maior, a probabilidade deles passarem as férias na sua casa é muito grande. Com sorte eles vão parar no seu quarto _ _"; e a segunda coisa, que me irrita profundamente é o fato da cidade ser divertida pra todo mundo, menos pra você que mora nela. É o mesmo esquema de cuidar de criança dos outros: toda criança alheia é um amor, agora as SUAS... melhor nem comentar.

Tem também o lance de trabalho. As únicas coisas que viram em uma cidadezinha é Posto de Gasolina, Lan House, Cabelereiro e Igreja. Cinco elementos que darão muito dinheiro e se você tiver todos, um perto do outro, prepare-se para fazer parte de algum círculo social de ricaços da cidade que só se juntam pra bater papo e contar vantagem (ajudar a comunidade que é bom... nada).

Com todas essas informações você já está pronto para viver em uma Cidadezinha de Interior. Faça as malas, traga repelente e um terço, você será recebido de braços abertos, além do mais, que cidadezinha num é considerada hospitaleira com seus visitantes?

6 comentários:

Iuri disse...

Welcome to the Jungle


Poste Quem Postar!
http://postequempostar.blogspot.com

Abaura disse...

Welcome to the jungle [2]


Só que por aqui eles não tem tudo que a gente quer (They've got anything you want)

Ligia disse...

Welcome to the Jungle³

ahh, doce e maravilhosa São Pedro, ficarei tão triste qando chegar a hra de deixa-la *-*'

Abaura disse...

@Ligia
Pra vc ver, minha tristeza foi tão grande que eu resolvi voltar!

protótipo imperfeito disse...

onde estão a músicas típicas?
com algumas até me identifico: "eu to cansado da fazenda e de ver cara de boi ♪"

Diego disse...

Tambem né saiu fugido do cursão uhauhauhaua
esse pessoal q nao aguenta é foda né

Related Posts with Thumbnails