quarta-feira, 21 de julho de 2010

Filosofias Abaurônicas IV: Gente (MUITO) Simpática.

Olá, leitores! Como vão? *^^*

Com essa saudação super falsa simpática darei início ao post de hoje! Que por um acaso, até agora (primeiras linhas) não tem título definido e muito menos um assunto. Para os desinformados de plantão, é importante ressaltar que não deixo de planejar alguns posts aqui do blog, na verdade eu até tenho uma lista de possíveis tópicos pra falar por aqui, mas único e exclusivamente (adoro usar essa expressão) HOJE, vou dar uma de rebelde e escrever qualquer coisa.

Voltando às primeiras frases do post e lembrando do "Irritando Fernanda Young", me veio aquela ideia da pessoa Chata/SuperLegal. Ok, ficou confuso, mas vou explicar. Sabe quando você chega em algum lugar e encontra com aquela pessoa dona de um sorriso de orelha-a-orelha e que aparentemente nunca está de mau humor? Exatamente a mesma pessoa que é tão legal, mas tão legal, mas MUITO LEGAL MESMO, que é até chata ¬¬?
Assim como diria meu grande amigo Simon Cowell (ex-jurado do American Idol) "Geralmente eu coloco 2 torrões de açúcar no meu chá, isso foi como se eu tivesse colocado 11.", ou seja, às vezes é um pouco demais. O caso, no entanto, da pessoa-exemplo-do-Ideias-Abaurônicas é aquele cidadão INSUPORTÁVEL, do tipo que inicia um assunto chato com AQUELA empolgação e quando você menos espera... O ASSUNTO CONTINUA! Impedindo que você tome qualquer atitude evasiva sem provocar uma reação totalmente inesperada (geralmente essas pessoas são bem imprevisíveis... tenha medo).

O pior de tudo é que essas pessoas estão nos lugares menos esperados! Um vendedor, uma atendente de telemarketing (piores), um garçom (piores²), ou ainda, uma visita surpreendente na sua casa. Convenhamos que esse último é o pior de todos. Pra começar porque se você convidou a pessoa pra ir até sua casa, você não tinha ideia da tamanha simpatia dela; depois ela começa a se mostrar A samaritana e você não pode simplesmente expulsá-la da sua casa. Nesse momento, meninos e meninas, o melhor a fazer é analisar o ambiente: se houver objetos pontudos ou de forte constituição, não hesite, agarre-o e faça com que ele se funda com a cabeça do simpático; agora se você estiver desfavorecido pela sua própria casa... seja criativo! Simule um super chamado da natureza, um ataque, uma suposta dupla personalidade, reze, receba uma entidade, sei lá... foi pra situações como essa que Deus nos deu um cérebro. Por via das dúvidas faça como eu, sempre deixe objetos pontudos próximos.

Assim. Você. Pessoa MUITO SIMPÁTICA. Continue assim, só adicione aquela dose cavalar de semancol no seu café assim como EU. Só pra garantir a sanidade mental das pessoas ao seu redor e o seu bem estar físico (caso você venha na minha casa).

Ha ha, final do post e agora eu até bolei um título super original pra ele. Ele até me deu umas ideias de outros tópicos que devem ser questionados, mas deixa pra uma próxima.

Até!


P.S.: ok... eu tive sérias dificuldades em escrever a palavra "hesitar", JURO que não sabia que era com H e pô, foi uma baita de uma descoberta pra mim...sério... Essa palavra com certeza vai entrar pra milha lista de "Palavras que eu não tenho costume de escrever e me surpreendo com a grafia".

Um comentário:

Natalia Alencar disse...

Hahahahahaha, eu também tenho medo disso. É automático, associo logo com falsidade.

As vezes nem é. Mas... Argh. ^^

Related Posts with Thumbnails